sábado, 11 de março de 2017

Cabofriense goleia e rebaixa o Campos para a Série B1

Roxinho foi derrotado e volta à Segundona































Na tarde deste sábado (11), o Campos Atlético foi rebaixado de volta à Segunda Divisão do Campeonato Carioca. Menos de seis meses após conquistar o acesso, o time teve sua queda decretada após a vitória da Cabofriense, no Estádio Alair Corrêa, pelo placar de 4 a 1. A goleada fez o Tricolor Praiano terminar o Grupo X com 16 pontos, de maneira invicta, enquanto o Roxinho terá que amargar, mais uma vez, a disputa da Série B1 do Estadual, em maio.

O Campos precisava vencer para fugir do rebaixamento. Ainda era necessário torcer por um tropeço do Bonsucesso diante do Tigres. Mas o Roxinho não fez sua parte, foi derrotado por 4 a 1 pela Cabofriense, neste sábado (11), no Correão, e amargou a degola logo em seu ano de estreia na Série A do Campeonato Carioca. Jhonathan (contra), Bruno, Pedro e Pernão fizeram os gols do Tricolor Praiano, com Anderson Manga descontando.
Dessa forma, o Campos fechou o Grupo X com apenas seis pontos conquistados, dentro do Z-2, na penúltima colocação. A equipe disputará a Série B1 ainda este ano, a partir de maio. Por sua vez, a Cabofriense encerrou sua participação disparada na liderança, com 16 pontos ganhos, com campanha invicta na etapa que definiu o descenso do Estadual. Em 2018, estará na fase preliminar do Carioca.
Em ritmo de treino, mandantes encaminham vitória
O Campos iniciou fazendo o que se esperava: controlando a posse de bola, mas sem efetividade, como já havia feito na rodada passada, diante do Bonsucesso. A melhor chance saiu dos pés de Nélio, que teve liberdade pelo lado esquerdo de ataque e finalizou com perigo ao gol defendido por George.
O time de Cabo Frio, por sua vez, estava montado para atacar em velocidade, explorando os contra golpes. O primeiro gol, no entanto, veio de maneira curiosa. Diego Silva avançou pela ponta direita e tentou o passe para trás. Jhonathan, do Campos, veio no embalo e ao tentar afastar a bola, marcou um golaço, só que contra: 1 a 0.
Sair atrás no placar foi o tiro de misericórdia no time do Norte Fluminense. Em chute despretencioso de longe, Bruno pegou Marcos mal posicionado e mando para as redes: 2 a 0, aos 34. E tinha mais: Pedro foi acionado pela direita, quatro minutos depois, com tempo de ajeitar e bater cruzado, ampliando para 3 a 0.
Campos pressiona, diminui, mas esforço é em vão
Apresentando postura completamente diferente na etapa complementar, o Roxinho passou a ser mais incisivo. As entradas de Miguel e Henrique melhoraram o desempenho ofensivo. Miguel foi acionado dentro da área e sofreu a carga de Talis. Pênalti assinalado e convertido com categoria por Anderson Manga, acendendo a esperança dos visitantes aos sete minutos.
Todo no ataque, o Campos cedeu espaços naturalmente. Abner e Hudson perderam boas chances de transformar a vitória da Cabofriense em goleada. Do outro lado, Nélio acertou a rede pelo lado de fora. Ele ainda se estranhou com Pedro, o que gerou um princípio de confusão. Logo em seguida foi substituído por Luquinha.
Até o último minuto, o time do Norte Fluminense demonstrou a bravura que faltou na etapa inicial. Mas não foi suficiente. Muito nervoso, o Roxinho pecava na hora de matar as jogadas. O Tricolor Praiano ainda ampliou com Rafael Pernão. Placar final: 4 a 1, que devolve o Campos para a Segundona do Rio de Janeiro logo no ano seguinte ao acesso.
Fonte: FutRio

Nenhum comentário:

Postar um comentário