terça-feira, 28 de março de 2017

Servidor: Empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao Rio pode sair em 20 dias



A articulação que o presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB), vem fazendo em Brasília nesta quarta-feira pode resultar em uma solução rápida para os servidores estaduais. Em conversa com o presidente Michel Temer, Picciani fez um alerta: o Rio agoniza e, se em 20 dias, o empréstimo para pagar 13º, salários e gratificações da Segurança não sair, a situação sairá do controle.
A operação financeira que garantirá R$ 3,5 bilhões ao estado terá como garantia as ações da Cedae. E, segundo Picciani, Temer disse que assim que a Recuperação Fiscal for aprovada, tomará as medidas administrativas para acelerar o empréstimo, já que a União terá que dar aval para o crédito. O projeto de lei será votado amanhã (28/03) na Câmara — já há acordo para aprovação — e a previsão é de que vá ao plenário do Senado na semana que vem. 
"Nos próximos 20 dias, se não sair empréstimo, não haverá como pagar 13º, gratificação da polícia e depósito de salários no 10º dia útil. Com isso, poderá ter uma paralisação no Rio", disse Picciani, que fez um apelo sobre os riscos na área de Segurança:
"No Rio de Janeiro, os traficantes e milicianos estão fortemente armados, e se comparar o Rio com outros estados, em relação à topografia e geografia, a situação pode ficar sem controle. As consequências poderão ser desastrosas. Queremos agradecer o apoio que o presidente deu nas Olimpíadas, reconhecendo sua boa vontade ao Rio, mas queremos deixar claro que a situação atual tem que ser resolvida. Em 20 dias tem que ser equacionada", disse o parlamentar, acrescentando que se o empréstimo de R$ 3,5 bilhões não vier ao Rio nesse período, a intervenção federal seria a solução. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário