sábado, 16 de fevereiro de 2019

WITZEL DECRETA PONTO FACULTATIVO NA SEGUNDA-FEIRA DE CARNAVAL E NA QUARTA-FEIRA DE CINZAS


O governador do Rio Wilson Witzel determinou que a sexta-feira e a segunda-feira de carnaval, além da Quarta-Feira de Cinzas, serão consideradas ponto facultativo. No dia 1º, o decreto vale apenas para as repartições públicas estaduais localizadas na capital fluminense.  A data coincide com o aniversário da cidade do Rio. Já para os dias 4 e 6 de março, a decisão engloba as repartições públicas de todo o estado. O decreto foi publicado no Diário Oficial.

Ficaram de fora os órgãos que não podem ter paralisação dos serviços, como hospitais. Isso porque o texto informa que "o expediente será normal, entretanto, sob a responsabilidade dos respectivos chefes, nas repartições cujas atividades não possam ser suspensas em virtude de exigências técnicas ou por motivo de interesse público". Fonte: O Extra

HORÁRIO DE VERÃO TERMINA NESTE DOMINGO EM 10 ESTADOS E NO DF


Os moradores dos dez estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e do Distrito Federal devem atrasar seus relógios em uma hora a partir da meia-noite deste domingo (17), quando termina o horário de verão após 104 dias. A duração do horário diferenciado teve duração 14 dias menor do que a estabelecida entre 2017 e 2018A mudança ocorreu devido a uma solicitação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), que argumentava contra um prejuízo da mudança no dia do segundo turno das eleições de 2018As regiões Norte e Nordeste não adotam o horário diferenciado por estarem localizadas mais próximas à Linha do Equador, onde existe uma diferença maior na luminosidade do dia entre o verão e o inverno.

Criada em 1931, a medida que visava economizar energia pode estar com os dias contados. De acordo com estudos desenvolvidos pelo Ministério de Minas e Energia e pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a economia de energia durante o horário de verão não é mais significativa. A análise leva em conta a mudança do padrão de consumo da população, que passou a gastar mais energia entre 14h e 15h devido ao elevado uso do ar-condicionado. Anteriormente, o pico de consumo era registrado das 17h às 20h, quando os brasileiros costumavam a utilizar o chuveiro elétrico ao retornar para casa. Agora, caberá ao presidente Jair Bolsonaro definir se o horário de verão continuará em vigor nos próximos anos.