quarta-feira, 20 de setembro de 2017

MPF obtém fornecimento de medicamento de alto custo para recém-nascido



O Ministério Público Federal (MPF) em Itaperuna (RJ) obteve liminar, em ação civil pública, para que a União, o Estado do Rio e o município de Laje do Muriaé (RJ) forneçam o medicamento de alto custo Nusinersen (Spiranza) ao recém-nascido Ravi Dutra Romão. (processo n° 0148124-24.2017.4.02.5112)

A tutela antecipada é uma revisão da decisão anterior da 1ª Vara Federal de Itaperuna, já que, o MPF interpôs agravo de instrumento alegando que, após o indeferimento inicial, houve o registro do medicamento solicitado na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).
Ravi Dutra Romão tem três meses de idade e é portador de atrofia muscular espinhal tipo I (Síndrome de Werdnig – Hoffmann), grave enfermidade progressiva que afeta neurônios do corno anterior da medula espinhal, com indicação de utilização do medicamento Nusinersen (Spiranza).
“Viabilizamos a fruição do direito previsto constitucionalmente quanto ao acesso à saúde, fornecendo ao menor o medicamento, sendo que, de acordo com a jurisprudência sobre o tema, inclusive do Supremo Tribunal Federal, o alto custo do medicamento não se configura, por si só, motivo suficiente para caracterizar a ocorrência de grave lesão à economia e à saúde públicas, notadamente em se tratando de doenças raras, como é o caso do menor Ravi”, esclarece a procuradora da República Paula Cristine Bellotti.
De acordo com a liminar, o fornecimento deverá ser iniciado em prazo máximo de 15 dias, a partir da intimação dos envolvidos.
Fonte: Ascom 

Justiça Federal condena Sergio Cabral a 45 anos de prisão na ‘Calicute’



O ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, foi condenado a 45 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Cabral e mais 11 pessoas, incluindo sua mulher, Adriana Ancelmo, foram condenados na sentença final da Operação Calicute, desdobramento da Operação Lava Jato, proferida nesta quarta-feira (20), pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal.

Adriana Ancelmo foi condenada a 18 anos e três meses de reclusão por lavagem de dinheiro e participar de organização criminosa; Wilson Carlos, secretário de Cabral, a 34 anos de prisão por lavagem de dinheiro e organização criminosa. Hudson Braga foi condenado a 27 anos de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e participação em organização criminosa.
Carlos Miranda foi condenado a 25 anos de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa; Luiz Carlos Bezerra, a seis anos e seis meses de prisão por lavagem de dinheiro e participar de organização criminosa e Wagner Jordão Garcia, a 12 anos e dois meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
Paulo Fernandes Pinto Gonçalves foi condenado a nove anos e quatro meses de prisão por lavagem de dinheiro e organização criminosa; José Orlando Rabelo, a quatro anos e um mês de prisão por organização criminosa; Luiz Paulo Reis, a cinco anos e dez meses de prisão por lavagem de dinheiro e Carlos Jardim Borges a cinco anos e três meses de prisão por lavagem de dinheiro.
Luiz Alexandre Igayara foi condenado a seis anos de prisão por crime de lavagem de dinheiro, mas será beneficiado por ter feito delação premiada e teve a pena convertida em regime semi-aberto e prestação de serviços.
Líder
Na sentença, Bretas explica que considerou como agravante o fato de Cabral ter sido o líder da organização criminosa. “Principal idealizador dos esquemas ilícitos perscrutados nestes autos, o condenado Sergio Cabral foi o grande fiador das práticas corruptas imputadas. Em razão da autoridade conquistada pelo apoio de vários milhões de votos que lhe foram confiados, ofereceu vantagens em troca de dinheiro. Vendeu a empresários a confiança que lhe foi depositada pelos cidadãos do estado do Rio de Janeiro, razão pela qual a sua culpabilidade, maior do que a de um corrupto qualquer, é extrema”, escreveu Bretas.
Sobre Adriana Ancelmo, o juiz determinou que ela cumpra sua pena em regime inicial fechado. Atualmente, ela está cumprindo prisão preventiva domiciliar, em seu apartamento no Leblon, zona sul carioca, mas como a legislação possibilita apelação em liberdade até condenação em segunda instância, ela deverá permanecer em seu imóvel até decisão colegiada. Bretas considerou, na sentença, que Adriana Ancelmo foi mentora dos esquemas ilícitos, ao lado do marido.
“Foi também diretamente beneficiada com as muitas práticas criminosas reveladas nestes autos. Ao lado de seu marido, usufruiu como poucas pessoas no mundo, os prazeres e excentricidades que o dinheiro pode proporcionar, quase sempre a partir dos recebimentos que recebeu por contratos fraudulentos celebrados por seu escritório de advocacia, com o fim de propiciar que a organização criminosa que integrava promovesse a lavagem de capitais que, em sua origem, eram frutos de negócios espúrios.”
Na sentença, Bretas reafirma a necessidade de manutenção da prisão preventiva de Cabral, Wilson Carlos, Hudson Braga e Carlos Miranda, assim como o recolhimento domiciliar de Adriana Ancelmo. Porém, revoga a prisão preventiva e demais medidas cautelares de Luiz Carlos Bezerra, José Orlando Rabelo, Wagner Jordão Garcia, Luiz Paulo Reis e Paulo Fernando Magalhães Pinto Gonçalves, por não vislumbrar que perduram os requisitos das medidas e eles vão recorrer à segunda instância em liberdade. “Expeçam-se os respectivos alvarás de soltura”, determinou.
Outro lado
O advogado Rodrigo Roca, que representa Cabral, divulgou vídeo em que classifica a sentença como uma violência ao estado democrático de direito. “Só reforça a arguição de suspeição que nós fizemos contra o juiz que a prolatou. A condenação do governador pelo juiz Marcelo Bretas era um fato, era esperada, todo mundo sabia disso”, disse Roca, adiantando que vai apelar à instância superior.
A defesa de Adriana Ancelmo informou que ainda estava tomando ciência da sentença. Os advogados dos demais condenados não foram localizados pela reportagem. Todos os condenados foram arrolados na Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato no Rio de Janeiro, que investigou a relação entre o poder político no governo Cabral e empresas prestadoras de serviços, fornecedoras de produtos e empreiteiras responsáveis por grandes obras, principalmente para a Copa de 2014.
FONTE; AGENCIA BRASIL

PERLLA REBATE CRÍTICAS POR VOLTAR AO FUNK: 'NÃO BEBO, NÃO FUMO, NÃO CHEIRO E SOU MULHER DE UM HOMEM SÓ


De volta ao funk após quatro anos na carreira gospel, a cantora Perlla fez um desabafo em seu canal no Youtube sobre as duras críticas que vem recebendo por conta do seu atual trabalho. Em resposta a cinco perguntas polêmicas enviadas pelos internautas, a artista de 28 anos contou que vem sendo atacada nas redes sociais por religiosos, após ter decidido retomar a carreira no funk, ainda que continue evangélica.
"A maioria das pessoas que mais criticaram (SIC) são recalcadas e crenteiros. Infelizmente, existem pessoas cristãs, que seguem a Jesus, que realmente vivem a palavra e outros que são crenteiros, que não têm o que fazer e ficam nas redes sociais querendo se meter na vida alheia das pessoas. Então, eu tenho só uma coisa para dizer com relação às pessoas que têm preconceito com relação à minha vida: A minha vida não vai mudar porque você pensa em algo diferente de mim. Não vou mais cair no que as pessoas falam. Eu segui o meu coração, tenho o meu trabalho e dane-se o preconceito. Que vá à merda você que pensa qualquer coisa ao meu respeito ao contrário do que realmente eu sou", desabafou.
Questionada sobre ter migrado do gospel para funk, Perlla contou que conta com o apoio do pastor da sua igreja e também de toda a sua família. E explicou que, mesmo assim, decidiu deletar as fotos com o teor gospel que tinha nas redes sociais para não misturar as coisas.
"Não misturo mais a minha fé com o meu trabalho. Esse foi o meu maior problema: ter misturado. Voltar ao funk foi uma decisão muito sensata e precisa, foi de acordo com o meu marido, minha família, as minhas filhas ficaram a par. Meus pais me apoiaram. Minha mãe, que é uma pessoa extremamente religiosa, me entendeu. Então, estou bem em paz. Estou pouco me lixando com o que essas pessoas que estão falando de mim estão achando. O meu pastor também é uma pessoa que me acompanha e, graças a Deus, ele e a minha igreja me entendem".
"A maioria dos cristãos tem preconceito. Eu estou sofrendo esse preconceito muito grande de que aquilo que você faz paralelo ao mercado gospel é do diabo... Existem muitas pessoas fazendo coisas muito piores... Eu poderia ficar aqui até amanhã contanto em cada dedo quantas pessoas fizeram coisas muito piores. Eu nunca traí o meu marido, sou mulher de homem só. Não bebo, não fumo, não cheiro, já começa por aí...", continuou.
Fonte: Extra

FESTA BAIRRO MORRO GRANDE EM ITALVA - RJ


segunda-feira, 18 de setembro de 2017

EMPOSSADA NOVA DIRETORIA DO PEDRA BRANCA SOCIAL CLUBE DE ITALVA - RJ

Foi empossada na manhã deste domingo (17/09) a nova diretoria do Pedra Branca Social Clube de Italva. Encabeçada pelo novo presidente Gean Mérida (foto), a nova gestão da instituição assume um mandato de 18meses após "vencer" uma eleição extraordinária no mês de agosto. A posse ocorreu durante uma reunião do Conselho Deliberativo, que passou as chaves do clube para Gean na presença dos demais onze membros da diretoria. 

Segundo o novo presidente, seu propósito é trabalhar em equipe e buscar formas de aumentar a frequência dos mais de 300 sócios e para isso vê a necessidade de promover algumas alterações no estatuto. "Temos muitas ideias inovadoras, mas que acabam esbarrando em um estatuto ultrapassado, precisamos discutir mudanças para conseguirmos colocar nossos projetos em prática", disse. 

"Gean é empresário no ramo de restaurante há mais de 20 anos e possui uma grande experiência no ramo empresarial, com ampla capacidade técnica para estar a frente da administração do clube. Estamos confiantes e esperançosos com a excelente equipe que montou", declarou o atual presidente do conselho Cláudio Caléia. Fotos: Gilmar Sana

Nova diretoria do clube que assumiu neste domingo (Na foto falta Matheus Pózes)

CARDOSO MOREIRA ESBANJA EM FESTAS E O REAJUSTE DOS SERVIDORES FICA ESQUECIDO



Os servidores públicos de Cardoso Moreira-Cardoso Moreira-RJ, não receberão o reajuste salarial anual.  No entanto, a nova gestão que prima pela economia, realiza Festas e mais Festas e o dinheiro indo pelo ralo.

Economia em tempo de crise, não é muito o negócio por aqui em Cardoso Moreira-RJ, o que explica o esbanjamento com a Exposição e  Festas de Distritos,  enquanto os  funcionários sequer teve seus salários reajustados. A Prefeitura de Cardoso Moreira resolveu  desembolsar  dinheiro para festa, e deixar os servidores sem os seus salários reajustados como de direito.

A festa passou, mais os funcionários  segundo o Presidente do Sindicato dos Trabalhadores de Cardoso Moreira ficaram sem seu reajuste salarial que até o momento nada foi feito.

Não sei se os munícipes concordam. Só sei que, enquanto a festança é realizada, os vereadores e chefes do executivo do município estão rindo à toa, pois os seus salários foram reajustados. Enquanto isso os servidores lutam por reajuste salarial e nem sinal de  aumento.

Ótimo, mas já que o dinheiro em Cardoso Moreira  tá brotando de pedra, seria importante que os demais servidores também tivessem seus aumentos garantidos, sem a necessidade de ter que brigar,  para garantir a correção de seus salários também.

E agora vem ai mais uma Festa do Distrito de São Joaquim para levar mais uma vez o dinheiro do reajuste dos servidores da Prefeitura de Cardoso Moreira pelo ralo.

Projeto Musical foi lançado no Cristo Redentor e prossegue em outras Igrejas Históricas no Rio de Janeiro.


























Um projeto evangelizador foi lançado no último sábado com a apresentação no Cristo Redentor. Padre Max e Banda fecharam o momento mariano realizado pela Diocese de Campos com evangeliza show e já esta iniciando agenda para apresentações no Rio de Janeiro em igrejas históricas. Na opinião de Padre Maxiliano Barreto uma proposta que reúne a evangelização à promoção humana e social com a valorização dois músicos locais. Já preparando para 2018 a presença de outras cidades.

– Tudo começou com um sonho. Gostava de cantar, animar as missas e a partir daí surge o primeiro CD Servo por amor. E percebia uma grande aceitação popular resolvi investir na gravação do DVD Padre Max – 10 anos de ministério. Foi um desafio e hoje estou a cada dia ampliando meu trabalho. Não sou um cantor, mas um padre que através da música evangeliza. Não somos artistas, mas um grupo que aposta em meu projeto de descobrir talentos e investir no desenvolvimento dessas habilidades. Afinal Padre Max é um sacerdote que acredita nas pessoas e quer ajudá-las a descobrirem seu valor para a sociedade. – pontua o padre.

Musica e Evangelização. Um programa que esta iniciando. No final do ano será lançado o CD e DVD Padre Max ao vivo no Cristo Redentor. Segundo o padre será uma série de gravações em igrejas e centros culturais. O objetivo é de expandir a ação pastoral em nível nacional projetando a igreja de Campos a outras cidades.

Um projeto que tem o reconhecimento da sociedade e que promete ser levado adiante com apresentações em outras cidades. Tudo começou com a gravação do DVD Padre Max: 10 anos de ministério. Na opinião do Secretário de Cultura de Italva Erivelton Mendes uma oportunidade de divulgar o potencial artístico da cidade.

– O dom usado para edificação da Igreja! Parabenizo  Pe. Max por fazer da música um instrumento de evangelização! Anunciar Jesus Cristo por meio da música é um meio eficaz, uma vez que a música penetra os corações e deste modo, Pe. Max e Banda cumprem o mandato e envio dado pelo próprio Cristo: Ide e evangelizai! Dinamismo sem fugir da essência evangélica! Cristo Caminho-Verdade-Vida levado a muitos através da música! Que Deus abençoe este ministério e que este traga frutos para a Igreja. – disse Herberty Costa – Coordenador da Catequese da Paróquia N S da Conceição de Italva.

– Entendo que a música é uma das manifestações culturais mais abrangentes na atualidade. A iniciativa da Paróquia de Italva, com o apoio da Diocese de Campos, em levar músicos de Italva para se apresentarem aos pés do Cristo Redentor, diante de uma platéia multi cultural, fortalece consideravelmente essas manifestações em nosso município. Acredito que mais iniciativas como essa podem trazer inúmeros benefícios para a cultura de nossa região. – destaca Erivelton Mendes – Secretário de Cultura de Italva 

Texto Ricardo Gomes - Fotos  Heberty Costa