domingo, 4 de dezembro de 2016

A ascensão milionária de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral

A joia de Cabral: Adriana Ancelmo conheceu o ex-governador na Alerj


De um prédio de classe média baixa em Copacabana a hotéis cinco estrelas em Paris. Antes de se mudar para o Leblon e passar os fins de semana numa mansão em Mangaratiba, Adriana Ancelmo, de 46 anos, teve uma vida bem modesta — muito menos reluzente do que a revelada, no mês passado, pela Operação Calicute.
No fim dos anos 80, vivia num edifício de cinco andares na Rua Ministro Viveiros de Castro. Estudava a poucos metros dali, na Escola Estadual Infante Dom Henrique. Foi uma estudante mediana e colecionava notas C, bem diferente da aluna brilhante que Régis Fichtner, ex-secretário de Sérgio Cabral, diz ter encontrado no curso de Direito da PUC.
— Ela passou por uma escola pública e não se sensibilizou com a realidade que vivemos aqui? — questiona uma funcionária que, com medo, prefere não se identificar.
Adriana estudou na Escola Estadual Infante Dom Henrique, em Copacabana
Adriana estudou na Escola Estadual Infante Dom Henrique, em Copacabana Foto: Carolina Heringer / Extra
Antes, a ex-primeira-dama do Rio estudou na Escola Municipal Roma, também em Copacabana, onde cursou a 2ª, a 3ª e a 4ª série. Dos 11 aos 16 anos, chegou a viver com a família em Goiânia, capital de Goiás, onde também estudou em escolas públicas.
Nascida em São Paulo e filha de pais separados, Adriana e a irmã Nusia, que pediu exoneração na semana passada do Tribunal de Contas do Estado, foram criadas pela mãe, Eleusa. Nos pilotis da PUC, na Gávea, a advogada conseguiu seu passaporte para a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Na universidade conheceu Régis Fichtner, que foi seu professor. Procurador-geral da Alerj, em 2001, levou Adriana para ser sua assistente.
Cabral e Adriana num jantar em Paris
Cabral e Adriana num jantar em Paris Foto: Reprodução
No mesmo ano, na Assembleia, num encontro “fortuito” no elevador, conheceu Cabral. Ambos casados, separaram-se para ficar juntos em 2002. Hoje, o casal tem dois filhos. Em casa, quem sempre deu as ordens foi Adriana, chamada por Cabral de “Riqueza”. A ex-primeira-dama é conhecida por seu temperamento forte e é classificada por alguns como autoritária.
Adriana sempre optou por aparecer pouco. Não gostava de ir às agendas de Cabral. Quando aparecia, era de poucos sorrisos. Adriana é vista por assessores e secretários com certa antipatia. O ciúme que sentia do marido era capaz de tornar o semblante da advogada ainda mais sisudo. Era comum implicar com mulheres que trabalhavam com o companheiro. Brincalhão, Cabral mantinha-se mais discreto quando estava na companhia da mulher.
— Ela só falava com os secretários do grupo mais próximo do Cabral, como o Wilson Carlos e o Sérgio Côrtes — revela uma fonte que fez parte do secretariado de Cabral, mas prefere não se identificar. (Colaborou Marina Navarro Lins)
Prédio onde Adriana Ancelmo morou em Copacabana
Prédio onde Adriana Ancelmo morou em Copacabana Foto: Carolina Heringer / Extra
Patrimônio
O patrimônio de Adriana Ancelmo multiplicou-se por dez nos dois mandatos do marido — entre 2007 e 2014. O crescimento coincide com o aumento na receita de seu escritório de advocacia — Ancelmo Advogados — e também dos clientes.
Escritório
O escritório ocupa todo um andar — o 14º — de um prédio na Avenida Rio Branco, no Centro do Rio. No meio jurídico, o nome da ex-primeira-dama era totalmente desconhecido até o marido se tornar governador.
Sociedade
Até meados de 2010, Adriana era sócia do ex-marido, Sérgio Coelho, no Coelho, Ancelmo e Dourado Advogados.
O casal em frente ao prédio onde moram, no Leblob
O casal em frente ao prédio onde moram, no Leblob Foto: Márcia Foletto/01.10.2006 / Agência O Globo
Luxo
A vida luxuosa da advogada não era segredo para quem convivia com ela. No Werner Maison, em Ipanema, costuma ser atendida pelo próprio dono da rede, Rudi Werner e seus assistentes. Um corte de cabelo do profissional sai por R$ 428.
Aplique
Adriana costuma se arrumar para festas com Rudi. Numa ocasião, pediu que comprassem um aplique de R$ 3 mil para colocar no cabelo. Usou apenas uma vez, e, no dia seguinte, deu o assessório a uma assistente de Werner. O gesto surpreendeu os funcionários do salão.
Adriana Ancelmo e a mulher do ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes, acompanhadas de mais duas amigas, exibem os sapatos Christian Louboutin
Adriana Ancelmo e a mulher do ex-secretário de Saúde Sérgio Côrtes, acompanhadas de mais duas amigas, exibem os sapatos Christian Louboutin Foto: Reprodução
Sumida
A ex-primeira-dama não tem sido vista pelas ruas do Leblon. “Deve estar quietinha em casa agora”, diz um jornaleiro da região. Na semana passada, ela esteve em Brasília.
Silêncio
Adriana é suspeita de lavar dinheiro do esquema de desvio de verbas de obras do governo estadual. Há suspeitas de que o dinheiro tenha sido lavado com contratos de seu escritório. O extra procurou Adriana em seu escritório e pediu uma entrevista. A pedido de uma advogada, foram encaminhadas perguntas para um endereço de e-mail, mas a mensagem não foi respondida até o fechamento da edição.


Fonte O Extra

Nenhum comentário:

Postar um comentário