terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Veja como cada deputado votou a privatização da Cedae























O projeto de lei que prevê a privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) foi aprovado pelo plenário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) nesta segunda-feira (20/02). Foram 41 votos a favor e 28 contrários à proposta. Representantes da Região Norte Flumense no Alerj, Geraldo Pudim (PMDB), João Peixoto (PSDC) e Gil Vianna (PSB) votaram a favor. Já Bruno Dauaire (PR) votou contra. 

Após a aprovação do projeto de privatização da Cedae, centenas de manifestantes que estavam em frente à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) seguiram para o prédio da companhia na Avenida Presidente Vargas, na Cidade Nova. A via foi interditada, dando um nó no trânsito. No local, um pequeno grupo de mascarados entrou em confronto atirando pedras em policiais do Batalhão de Choque da PM, que lançou bombas de efeito moral.
Durante a caminhada, o grupo derrubou as grades que dividem a Presidente Vargas por conta do esquema montado para o Carnaval. O Centro de Operações pede que evitem a região e utilizem o metrô. A estação Praça Onze, que fica próxima ao prédio da Cedae, está fechada. 
Antes, os manifestantes estavam na Rua Primeiro de Março, em frente à Casa, que foi interditada pela manhã. O Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Rio (Muspe) começou uma vigília às 10h na Alerj em protesto contra a privatização da companhia.
Entre o grupo que protesta há servidores de diversas categorias, principalmente da Cedae, que entraram em greve nesta segunda-feira. A paralisação será até quinta-feira, até quando era prevista durar a votação da venda da Cedae. A privatização foi dada como garantia para empréstimo de R$ 3,5 bilhões ao Estado para pagamento dos servidores e amenizar a aguda crise. 
Veja abaixo como votou cada deputado presente na sessão:

A FAVOR
Ana Paula Rechuan (PMDB)
André Ceciliano (PT)
André Corrêa (DEM)
Aramis Brito (PHS)
Átila Nunes (PMDB)
Benedito Alves (PRB)
Carlos Macedo (PRB)
Chiquinho da Mangueira (PTN)
Conte Bittencourt (PPS)
Coronel Jairo (PMDB)
Daniele Guerreiro (PMDB)
Dica (PTN)
Dionísio Lins (PP)
Doutor Gotardo (PSL)
Edson Albertasse (PMDB)
Fábio Silva (PMDB)
Fatinha (Solidariedade)
Marco Figueiredo (PROS)
Filipe Soares (DEM)
Geraldo Pudim (PMDB)
Gil Vianna (PSB)
Gustavo Tutuca (PMDB)
Iranildo Campos (PSD)
Jânio Mendes (PDT)
João Peixoto (PSDC)
Jorge Picciani (PMDB)
Marcelo Simão (PMDB)
Marcia Jeovani (DEM)
Marcos Abraão (PT do B)
Marcos Muller (PHS)
Marcus Vinicius (PTB)
Milton Rangel (DEM)
Nivaldo Mulin (PR)
Paulo Melo (PMDB)
Pedro Augusto (PMDB)
Rafael Picciani (PMDB)
Renato Cozzolino (PR)
Rosenverg Reis (PMDB)
Tia Ju (PRB)
Zé Luiz Anchite (PP)
Zito (PP)

CONTRA:
Bebeto (PDT)
Bruno Dauaire (PR)
Carlos Lins (sem partido)
Carlos Osório (PSDB)
Cidinha Campos (PDT)
Doutor Julianelli (Rede)
Eliomar Coelho (PSOL)
Enfermeira Rejane (PC do B)
Flávio Bolsonaro (PSC)
Flávio Serefini (PSOL)
Geraldo Moreira da Silva (PTN)
Gilberto Palmares (PT)
Jorge Felippe Neto (DEM)
Lucinha (PSDB)
Luiz Martins (PDT)
Luiz Paulo (PSDB)
Marcelo Freixo (PSOL)
Márcio Pacheco (PSC)
Martha Rocha (PDT)
Paulo Ramos (PSOL)
Samuel Malafaia (DEM)
Silas Bento (PSDB)
Tio Carlos (SDD)
Wagner Montes (PRB)
Waldeck Carneiro (PT)
Wanderson Nogueira (PSOL)
Zaqueu Teixeira (PDT)
Zeidan (PT)
O deputado Dr. Deotalto (DEM) foi o único a não comparecer à votação.


 Fonte Redação/ O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário