segunda-feira, 8 de maio de 2017

Novo Hamburgo desafiou a lógica para conquistar título inédito

Campeão teve de superar orçamento apertado e pouco apoio da torcida


























Jogadores do Novo Hamburgo comemoram gol na final do Campeonato Gaúcho (Luiz Munhoz/Recorte do Olhar/Folhapress)

Novo Hamburgo, maior surpresa dos Estaduais em 2017, conquistou o Campeonato Gaúcho pela primeira vez em sua história lutando contra a lógica desde o início da competição. Ninguém esperava que o time ganhasse seus seis primeiros jogos, ninguém esperava que terminasse a fase de classificação na liderança, ninguém esperava que eliminasse o Grêmio na semifinal, nem que superasse o Internacional na decisão. E o Noia, como o clube é chamado na cidade de Novo Hamburgo, conseguiu tudo isso mesmo com pouco dinheiro e pouca torcida.
Não há grandes destaques no elenco do novo campeão gaúcho. O jogador mais conhecido é o zagueiro Júlio Santos, revelado pelo São Paulo. O goleiro Matheus Cavichioli, de 30 anos, e o atacante João Paulo, de 34, representam bem o que é a equipe azul e branca: atletas desconhecidos, com muita rodagem em times pequenos (a média de idade do time é de quase 30 anos) e que neste Gauchão desfrutaram do grande momento de suas carreiras. Matheus brilhou ao defender duas cobranças na decisão por pênaltis contra o Grêmio e João Paulo foi o artilheiro do time no torneio, com seis gols.
A folha salarial do Novo Hamburgo é de aproximadamente 150.000 reais por mês, um valor irrisório para os padrões da elite do futebol brasileiro – a do Internacional, por exemplo, está na casa dos 7 milhões de reais  mensais. Os campeões gaúchos esperam agora que o título seja uma maneira de conseguir contratos com equipes maiores, uma vez que ganhar mais dinheiro no Novo Hamburgo é difícil.
O clube tem apenas as modestas cotas de tevê do Gauchão para se sustentar, já que nem com sua torcida pode contar. A média de público do time em casa no torneio foi de menos de mil pessoas por jogo, e a semifinal contra o Grêmio mostrou como é difícil para o Novo Hamburgo incrementar suas receitas. O clube só pôde colocar 4.800 ingressos à venda e não vendeu sequer a metade deles (2.350 pagantes). Em um dos jogos mais importantes de sua história, o Noia teve como lucro pouco mais de R$ 100 mil.
Assim, é pouco provável que a diretoria do Novo Hamburgo consiga manter a equipe campeã gaúcha para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro, torneio que terá início neste mês e em que a perspectiva de boa arrecadação é ainda menor do que no Estadual.
OS NÚMEROS DO CAMPEÃO
Jogos: 17
Vitórias: 9
Empates: 6
Derrotas: 2
Gols a favor: 26
Gols contra: 14
Artilheiro: João Paulo, com seis gols
Fonte: Veja

Nenhum comentário:

Postar um comentário